Em jogo eletrizante, Fluminense e Inter empatam em 2×2, pela semifinal da Libertadores

Fluminense Inter semifinal Libertadores

Fluminense e Internacional protagonizaram um jogo eletrizante, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores.

Acompanhe conosco como foi esta grande partida.

Fluminense bate recorde de público no Novo Maracanã no jogo da semifinal da Libertadores contra o Internacional - Lance!

Imagem: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

O jogo entre Fluminense e Inter

Na noite de quarta-feira, Fluminense e Internacional fizeram uma bela partida, válida pelo jogo de ida das semifinais da Copa Libertadores.

O Fluminense veio escalado com Fábio, Samuel Xavier, Felipe Melo, Nino e Marcelo. André e Ganso, Arias e Keno. John Kennedy e Cano.

O Internacional iniciou a partida com: Rochet, Hugo Mallo, Vitão, Mercado e Renê. Johnny e Aranguiz, Maurício e Alan Patrick. Wanderson e Enner Valencia.

Para esta partida, o técnico Colorado, Chacho Coudet substituiu o lateral Bustos por Hugo Mallo, visando dar uma maior proteção ao sistema defensivo, que poderia sofrer com as subidas de Keno.

A inovação de Fernando Diniz, na escalação, foi no posicionamento de Paulo Henrique Ganso, que atuou quase como um segundo volante, ao lado de André.

O jogo, conforme dito, foi frenético.

Logo aos 5′ minutos, Maurício recebe a bola na quina da área, domina girando para a direção do gol e bate colocado. A bola passa raspando a trave de Fábio.

Apenas dois minutos depois, o Flu deu a resposta. Apesar da escalação de Hugo Mallo, de maior caráter defensivo, não foi possível frear o ímpeto de Keno, que arrancou do meio de campo, passou pelo lateral e bateu cruzado. Rochet estava lá para fazer grande defesa e mandar para escanteio.

Aos 10′, Renê comete erro grave, sendo desarmado por Arias, ainda na saída de bola. Com a zaga completamente desorganizada, o meia colombiano parte em velocidade, toca para John Kennedy, que serve Cano. O atacante chega batendo de primeira, sem chances para Rochet. Fluminense 1×0 Inter.

O ritmo do jogo não diminuiu. Mais uma vez sobre Hugo Mallo, Keno faz tabela com Cano e bate cruzado. Rochet, novamente, faz uma defesa espetacular, no estilo futsal.

O Internacional se mostrou uma equipe bastante corajosa e não abriu mão de seu estilo de jogo, mesmo com toda pressão de um Maracanã lotado.

Enner Valencia começou a ganhar o duelo físico contra a linha de defesa do Fluminense. Assim, foi possível achar o espaço necessário para deixar Alan Patrick na cara do gol, mas o meia bateu fraco de esquerda. Fábio fez a defesa facilmente.

Em um outro duelo, Enner vence duelo e parte com ela carregada em direção ao gol. Samuel Xavier interrompe o lance com falta tática, recebendo cartão amarelo.

Pouco tempo depois, o lance se repete. Valencia consegue escorar para si próprio uma bola lançada pela defesa do Colorado. Quando está prestes a dominaná-la, Samuel Xavier entra com um carrinho, acertando a sola da chuteira no centroavante. O árbitro da partida, Dario Herrera, assinalou a falta e corretamente mostrou o segundo cartão amarelo, consequentemente expulsando o lateral, aos 45′.

O Inter soube muito bem aproveitar a superioridade numérica, ainda na primeira etapa. Realizou uma pressão forte e, em belo cruzamento de Renê, Hugo Mallo aparece como elemento surpresa e cabeceia para o gol.

O assistente assinalou o impedimento, mas com a utilização do VAR, o gol foi validado.

Desta forma, o Inter foi para o vestiário com o moral elevado. E da mesma forma voltou ao campo.

A pressão foi intensa, sobretudo com uma troca de passes rápidas na entrada da área, até que encontrasse os extremos ou laterais livres para fazer o cruzamento.

Foi assim que Hugo Mallo alçou bola na área que encontrou a cabeça de Mercado. O zagueiro vem em velocidade e cabeceia no canto baixo, fazendo o gol.

Depois de muita comemoração, foi constatado pelo VAR que a bola toca na mão de Mercado, após seu cabeceio, sendo portanto invalidado.

Neste momento, a torcida do Fluminense foi à loucura e incentivou ainda mais o time.

Embora os cantos vindos da arquibancada fossem fortes, o Inter não se abateu pelo gol anulado e seguiu pressionando.

Deste modo, aos 64′, Renê toca para Maurício, que faz o passe na entrada da área. Enner Valencia tenta dominar, mas a bola passa por baixo de seu pé, sobrando perfeitamente para Alan Patrick. O camisa 10 Colorado vê a aproximação de Marcelo na marcação, então dá um lindo drible de corpo. A bola pende para sua perna direita. Ele solta uma bomba cruzada, estufando as redes de Fábio e fazendo um golaço. Virada colorada.

Após o gol, alguns dos principais jogadores do Inter, como Aranguiz, Maurício e Alan Patrick sentiram desgaste, já que foram muito exigidos na pressão ofensiva. Por isso, Coudet promoveu alterações, colocando Lucca, Dalbert e Bruno Henrique, acreditando que os jogadores pudessem manter o ritmo dos titulares.

Não foi o que aconteceu. As substituições fizeram com que a intensidade do Colorado caísse. O Fluminense, por outro lado, soube aproveitar muito bem, se lançando ao ataque sempre que possível.

Desta maneira, Renê cede escanteio de forma infantil. Na bola parada, Arias faz a cobrança e Nino sobe sozinho. A pelota encontra Cano, que estava na pequena área. O centroavante, com seu faro artilheiro, acerta um chute de primeira e faz seu segundo gol na partida (11 na Libertadores e artilharia isolada da competição), empatando um confronto que parecia perdido, aos 78′.

Assim terminou o primeiro capítulo desta decisão espetacular.

O Inter conseguiu um bom resultado fora de casa, mas sai com um gosto amargo, já que soube fazer bom uso do jogador a mais em campo. Apesar disto, cedeu o empate no final da partida.

O Fluminense vai ao Beira-Rio com o moral inflado, entretanto sabe das dificuldades que enfrentará em Porto Alegre.

Erros, acertos e arbitragem: Veja as reações de um Flu x Inter movimentado :: ogol.com.br

Imagem: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

O duelo tático entre Diniz e Coudet

A partida narrada foi um verdadeiro duelo tático entre dois treinadores espetaculares.

Recheada de intensidade física, ambos os times jogaram de acordo com a vontade de seus técnicos, algo difícil de se observar.

Diniz tinha ciência da necessidade de fazer uma boa vantagem jogando em casa. Por isso, armou o time de maneira bem vertical. Sabia que para proteger sua defesa, deveria impedir que os meias do Inter transitassem a bola no meio de campo.

Logo, pressionou a saída de bola do Colorado em todos os momentos fisicamente possíveis. Foi assim que o Fluminense construiu seus dois gols. O primeiro com o desarme de Arias sobre Renê e o segundo após roubada de bola, mais uma vez tendo Renê como vítima, que gerou o escanteio.

Diniz critica arbitragem em Fluminense x Internacional: "Interferiu na partida" | fluminense | ge

Imagem: André Durão

Por outro lado, Chacho Coudet identificou duas fraquezas muito latentes do adversário. A primeira é a falta de proteção na cabeça da área, tendo André como único homem de marcação pelo setor. Diniz até tentou amenizar essa deficiência recuando Ganso, mas não surtiu o efeito esperado.

Portanto, Coudet posicionou Alan Patrick e Enner Valencia próximos. Enner era capaz de escorar ou dominar lançamentos longos e Alan recebia, de maneira extremamente rápida e vertical, as bolas roubadas por Johnny e Aranguiz no meio de campo.

Maurício e Wanderson espelhavam Arias e Keno, atraindo sua marcação e deixando o meio do Fluminense exposto.

A segunda é a superioridade física dos atacantes do Inter sobre Felipe Melo. Seja pela velocidade de Wanderson e Maurício, seja pelo embate corpo a corpo com Enner Valencia. O equatoriano ganhou todas as disputas.

A expectativa é que o jogo da volta seja tão alucinante como este e não há um favorito para ir à final.

O único ponto negativo são as críticas de Fernando Diniz à arbitragem ao final da partida. Do ponto de vista de critério, o juiz Dario Herrera, foi perfeito. Ambos os lances de Samuel Xavier foram claros para cartão amarelo. O primeiro parando um contra-ataque e o outro por um carrinho com a perna levantada. Não há o que ser dito.

Quem leva a classificação?

Coudet fala sobre empate do Inter com o Fluminense: 'Estamos a uma vitória da final'

Imagem: Buda Mendes/Getty Images / Esporte News Mundo

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades do futebol estrangeiroInstagramFacebook e Twitter.

Escrito por Vitor F L Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Copas, Libertadores

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir