Manchester United de ten Hag: O que acontece?

Manchester United de Erik ten hag inicia mal a temporada 2023/24

O técnico holandês, Erik ten Hag, tem enfrentado problemas no comando do Manchester United.

Aqui, analisaremos a forma com que ele tem armado o time, bem como seu retrospecto desde a chegada no gigante inglês.

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades do futebol estrangeiroInstagramFacebook e X.

Os números de Erik ten Hag no comando do Manchester United

Após anos extraordinários no comando do Ajax, Erik ten Hag decidiu assumir um compromisso bastante desafiador.

Comandar um dos times mais populares e vencedores do planeta, o Manchester United.

Sabemos que ser técnico neste clube específico não é uma tarefa fácil. Por lá, o fantasma de um dos maiores técnicos da história, Sir Alex Ferguson, ainda paira sobre o Old Trafford.

Uma equipe que era favorita para todas as competições que disputava, agora passa por um eterno processo de reformulação, desde 2013.

É verdade que por um breve período de tempo, sob comando de outro grande treinador, José Mourinho, o Manchester United reencontrou seu caminho, sendo campeão da Europa League, da Copa da Liga Inglesa e da Supercopa da Inglaterra, na temporada 2016/17.

Contudo, sabemos que é pouco para uma equipe do tamanho do United, sobretudo pelos investimentos feitos na compra de jogadores, que acabaram não rendendo o esperado.

Desde sua chegada, em agosto de 2022, Erik ten Hag possui ótimos números no comando do clube, que falam por si só. São 79 partidas, com 50 vitórias, 21 derrotas e apenas 8 empates.

Curioso o número baixíssimo de empates, o que denota uma grande determinação do treinador em vencer jogos. O desfecho pode ser tanto positivo, quanto negativo.

Apresenta um saldo bastante positivo no ataque, de modo que a equipe anotou 139 gols e concedeu 99.

Quanto ao desempenho, começaremos pelo lado positivo.

Ten Hag chega em 2022, com a difícil missão de assumir o United. Sobre ele, havia muita expectativa, já que tinha conseguido levar o jovem time do Ajax à semifinal da Champions League, sendo eliminado no último lance do jogo com o hat-trick de Lucas Moura.

Além da bela campanha e títulos conquistados na Holanda, o treinador ficou conhecido por revelar muitos jogadores para o cenário mundial, com ajuda, claro, de uma das bases mais tradicionais, o Ajax.

Logo, esperava-se que este trabalho junto aos jovens se refletisse também no Manchester United.

Fato é que o Campeonato Inglês feito pelo United foi um dos melhores dos últimos anos. O time ficou em terceiro lugar, algo que não acontecia há algum tempo.

Apresentou um futebol consistente, principalmente depois da chegada de Casemiro, que arrumou o meio de campo dos Red Devils, além do fator moral. Muito importante ter um jogador pentacampeão de Champions League no elenco.

Um outro ponto importante com que ten Hag teve que lidar, foi a questão Cristiano Ronaldo.

Entendendo que o jogador não rendia como anteriormente, evidentemente a idade avançada acarreta em diversos percalços, o técnico holandês optou por deixá-lo no banco de reservas em diversas oportunidades.

O talento e dedicação de Cristiano Ronaldo são algo indiscutível, bem como seu papel histórico nos rumos do futebol, principalmente pelo Manchester United. Contudo, quando o jogador se acha maior que o clube em que atua, ele entra em rota de colisão com a instituição e o treinador. Foi o que aconteceu.

Em outubro de 2022, em partida contra o Tottenham, Cristiano Ronaldo se recusou a entrar em campo, bem como deixou o banco de reservas antes do fim da partida.

Quando indagado, o Mister disse que teria uma conversa com o jogador, além de aplicar uma punição disciplinar.

Coincidência ou não, Cristiano Ronaldo rescindiu seu contrato menos de um mês depois, e rumou à Arábia Saudita.

Irmã de CR7 faz post pela saída de ten Hag do United: “Já vai tarde” | Metrópoles

Foto: Martin Rickett/PA Images via Getty Images

Apesar deste furacão, o time foi muito bem, obrigado.

Foi Campeão da Copa da Liga Inglesa, vencendo o Newcastle por 2×0 na final; chegou à final da Copa da Inglaterra, perdendo por 2×1 para o Manchester City de Pep Guardiola e ficou com o terceiro lugar da Premier League.

Entretanto, o início desta temporada não está sendo fácil para os Red Devils.

Ocupam apenas a 8ª colocação do Campeonato Inglês, além de terem sido eliminados precocemente da Copa da Liga Inglesa, perdendo por 3×0 do Newcastle.

A situação mais periclitante é na Champions League. No Grupo A, que poderia ser considerado relativamente fácil, composto por Manchester United, Bayer de Munique, Galatasaray e Copenhague, os Red Devils amargam a última posição do grupo, com apenas 3 pontos somados.

Ou seja, caso continue desta maneira, o United não participará mais de nenhuma competição europeia na temporada, já que os dois primeiros do grupo avançam às oitavas de final e o terceiro colocado vai para a Europa League.

A equipe já perdeu contra todos os adversários do grupo, sendo a última derrota, por 4×3, contra o Copanhague, na Dinamarca.

O cenário poderia ser ainda pior, já que o jogo vencido contra os dinamarqueses, no Teatro dos Sonhos, contou com uma defesa de penalti de Onana nos últimos minutos da partida.

Mas qual a razão por este desempenho?

Razões do baixo desempenho na temporada atual

Com base em suposições, podemos tentar achar algumas justificativas para o início de temporada abaixo do esperado do Manchester United.

Se por um lado a equipe havia terminado o ano em alta e com grandes expectativas do torcedor, estas vão se frustrando a cada jogo que passa.

Por falta de investimento, não foi, já que os Red Devils investiram € 204,4 milhões. Uma quantia absurda até mesmo para os padrões da Premier League.

Mas vamos aos nomes:

  • Rasmus Højlund – €75 milhões
  • Mason Mount – €64,2 milhões
  • André Onana – €50,2 milhões
  • Sofyan Amrabat – €10 milhões (empréstimo)

Será que com um orçamento deste tamanho, a diretoria do United escolheu os jogadores corretos para fazer o investimento?

Todos sabemos que o mercado europeu é extremamente inflacionado, principalmente quando se trata de um jogador que atua nas TOP5 ligas do continente.

Rasmus Højlund, por exemplo. O dinamarquês chegou da Atalanta por uma quantia exorbitante. Será que este é seu real valor como jogador dentro de campo? Será que ele corresponde ao montante de 75 milhões por meio de assistências, gols, belas jogadas e exposição da marca? Até o momento, não.

Why Manchester United couldn't sell Rasmus Hojlund's shirt | The Independent

Foto: Getty Images

Na temporada passada, anotou 10 gols pela Atalanta, em 32 jogos. Mesmo que seja um jogador jovem, é um número considerado baixo, até porque foi titular na imensa maioria das partidas.

Se comparado à Marcos Leonardo, Endrick e Vitor Roque, que atuam no Brasileirão, seu desempenho parece ainda pior, já que o trio já anotou 21, 11, 20 gols, respectivamente. O detalhe é que a temporada sequer terminou.

Embora tenham demonstrado um desempenho muito superior ao de Højlund, Endrick e Vitor Roque foram vendidos por um valor inferior. Marcos Leonardo deve ser vendido no final do ano por um montante muito inferior.

Outro nome foi Mason Mount. O jogador já vinha em baixa no Chelsea, mas mesmo assim desprenderam valores astronômicos para contratação do meio campista.

Mason Mount explains why he chose to sign for Man Utd from Chelsea | Manchester United

Imagem: Reprodução site Manchester United

Onana, que havia feito uma temporada excepcional pela Inter de Milão, não vem conseguindo repetir as boas atuações. O goleiro, inclusive, falhou em diversas partidas e prejudicou resultados do United.

Ademais, a quantia de €50,2 milhões é fora da realidade. Sobretudo quando seu goleiro anterior era De Gea, renomado jogador que sequer teve seu contrato renovado depois de dez anos de clube.

O que aconteceu com Onana, goleiro que custou quase R$ 300 milhões ao United - ESPN

Foto: James Gill/Getty Images

Além das contratações terem surtido pouco, ou nenhum efeito, jogadores que já estavam no clube não se desenvolveram.

São os casos de Anthony e Sancho. Dois jogadores que tinham um futuro muito promissor, mas que sofrem muito com seu extracampo.

Posto isto, ten Hag deve achar soluções urgentes. O futebol é injusto e mesmo que tenha tido uma temporada anterior acima do esperado, uma desclassificação precoce na Champions League, combinado ao meio de tabela da Premier League, pode custar seu cargo.

Acredita que o United e ten Hag podem dar a volta por cima ainda nesta temporada?

 

Escrito por Vitor F L Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Exclusivos

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir