Neymar vendido ao Al-Hilal. O craque do “E se…”

neymar al hilal

Confirmada a venda de Neymar Jr. O craque brasileiro é mais uma aquisição do novo mercado fervente da Arábia Saudita. O jogador troca o PSG para se juntar ao Al-Hilal. Confira os detalhes e opinião acerca do negócio.

Como Neymar chegou até aqui?

Sendo brasileiro, tive a oportunidade de acompanhar Neymar desde o início de sua carreira.

Antes mesmo de chegar a atuar pelos profissionais, Neymar já tinha status de craque. Mesmo em um mundo no qual, até então, as redes sociais não tinham o poder que têm hoje, as notícias sobre do garoto franzino circulavam pela cidade de Santos.

O Santos, que sempre viu em suas categorias de base a chance de ganhar títulos, se via diante desta possibilidade uma vez mais.

A geração bicampeã do Brasileirão e vice-campeã da Libertadores, com Robinho, Diego, Elano, Renato e Alex não estava mais presente ali.

Cabia ao Menino Neymar preencher esta lacuna. E assim, sob esta pressão, ele desempenhou seu papel desde o primeiro momento que pisou em campo. Finalista do Campeonato Paulista em sua primeira temporada como profissional.

No ano seguinte, 2010, ele se mostrou para todo o Brasil. Campeão Paulista e da Copa do Brasil. No jogo contra o Guarani, pela Copa do Brasil, chegou a fazer incríveis 5 gols no jogo que terminaria 8×1 para o Santos. Foi artilheiro da competição. Marcou em ambas as finais.

Já em 2011, o patamar foi elevado. Campeão da Libertadores e Rei da América. Em 2012, semifinal da Libertadores, campeão da Recopa e mais uma vez Rei da América.

Santos vence o Peñarol e é tricampeão da Libertadores - Jornal O Globo

Imagem: AP

Neymar foi o único jogador da história a fazer parte do top 10 da disputa do Ballon D’or, atuando fora da Europa.

O passo seguinte foi o Barcelona. Por lá, empilhou títulos, gols, assistências e artilharias. Compartilhando o ataque com Messi e Suarez, levitava em campo e impressionava os espectadores.

Contudo, nem tudo são flores. A carreira, até então linear para se tornar o maior jogador do mundo, encontraria alguns percalços. No jogo histórico de “La Remontada”, Neymar colocou a bola debaixo do braço e foi o principal responsável pela virada mais improvável do futebol.

Fez gol de falta, de penalti e a assistência final para o gol de Sergi Roberto, sacramentando o 6×1 do Barça sobre o PSG e a classificação.

Apesar da performance histórica, o rosto de Messi estampava a capa de todos os jornais do mundo. Neste momento, Neymar sentia que ali, no Barcelona, onde Messi era o astro rei, não poderia chegar ao seu objetivo principal de ser eleito melhor jogador do mundo.

Neymar comemora o sexto gol do Barcelona contra o PSG.

Imagem: QUIQUE GARCÍA (EFE)

Na temporada seguinte, a transferência que chocou o mundo. Neymar se transferia para o PSG por uma quantia jamais antes vista, €222 milhões.

Até este momento, tudo bem. Neymar passou por temporadas de adaptação, alternadas entre lesões e belos momentos.

Em 2020, já sob bastante desconfiança, conseguiu um feito importantíssimo para o PSG: chegar à final da Champions League. Entretanto, o time francês foi superado pelo Bayern de Munique.

Numa Champions League um pouco diferente, por conta da Covid-19, o craque brasileiro teve atuações históricas, praticamente colocando o PSG na final.

Neymar chora com derrota para o Bayern e perda do título do PSG na Liga dos Campeões

Imagem: Michael Regan/UEFA via Getty Images

Embora tenha conseguido este feito na história do clube francês, sempre foi hostilizado pelos Ultras do clube, sobretudo quando demonstrou não estar feliz ali e solicitou sua volta ao Barcelona. Desde então, um jogador do calibre de Neymar, tinha muito mais vaias que aplausos atuando em Paris.

Ocorre que, do Santos à final da Champions League pelo PSG, Neymar ganhar uma Bola de Ouro parecia ser questão de tempo. Em nenhum momento cogitou-se a possibilidade de Neymar não se tornar o que era esperado dele.

Porém, a realidade foi diferente. Cada vez menos presente em campo, o jogador acumulava lesões, sobretudo no quinto metatarso, além de seu nome vinculado negativamente à mídia.

Por isto, o título: “e se…”. E se Neymar tivesse se mantido no Barcelona. E se ele tivesse cuidado melhor de sua saúde e agido como de fato um atleta deve agir? E se ele não tivesse entrado em rota de colisão com os torcedores do PSG?

A verdade é que mesmo com todos estes “e se”, o que sempre foi notório, era a vontade de Neymar em vencer quando estava dentro de campo. A final da Copa América entre Brasil e Argentina é prova viva disso. Jogo marcante em que o jogador simplesmente se recusa a perder uma final, em casa, para o maior rival.

Mesmo com os adversários tentando pará-lo de forma violenta, ele seguia em direção do gol de Dibu Martínez, com ódio.

Mesmo com todas as festas e manchetes negativas. Quando ele pisava em campo, se mostrava determinado a vencer.

Contudo, parece que esse ímpeto acabou. Não há mais gás. A impressão que fica é que o eterno Menino Ney se cansou. A vida de celebridade falou mais alto.

As lesões constantes e a péssima relação com a torcida, combinada à tentativa de renovação no elenco do PSG, fez com que Neymar ficasse encurralado.

O PSG não liberaria o jogador sem qualquer compensação. Desta maneira, o mercado europeu se mostrou fechado para Neymar. Qual time gastaria cerca de €100 milhões para adquirir um jogador de 31 anos, que joga metade dos jogos da equipe por estar sempre no departamento médico? A resposta é simples e demonstrada pelo mercado da bola: nenhuma.

A única opção restante foi o novo mercado insano da Arábia Saudita. Neymar, aparentemente a contra gosto, se junta ao Al-Hilal. Confira os detalhes da transação.

Detalhes da transferência

Há algumas semanas, quando a negociação entre Neymar, seu pai e Al-Hilal se desenvolvia, diversos possíveis valores foram citados.

Em um primeiro momento, acreditava-se que o Al-Hilal pagaria ao PSG cerca de €90 milhões e que Neymar teria vencimentos anuais na casa dos €80 milhões.

Paralelo a isto, era ventilada na mídia a possibilidade de Neymar voltar ao Barcelona, tendo eventualmente aberto mão de uma parte substancial de seu salário para se juntar à equipe Blaugrana.

Entretanto, a dificuldade financeira do Barcelona, a necessidade de enquadramento no Fair-Play financeiro de La Liga e o requerimento de uma compensação pelo PSG inviabilizaram o negócio.

Deste modo, restou a opção menos desejada por Neymar e seu staff. Se juntar à Cristiano Ronaldo, Benzema, Mané, Kanté e tantos outros, rumo à Arábia Saudita.

A oferta final do Al-Hilal que assegurou a chegada de Neymar foi um montante absurdo de €80 milhões, podendo chegar €100 milhões em bônus caso algumas metas não especificadas sejam batidas.

Agora, o salário. De acordo com o L’Equipe, Neymar assinará um contrato de 2 anos, recebendo por este período a quantia de €320 milhões. Sim, este é o valor. Quer dizer, €160 milhões por ano, €13,3 milhões por mês, €444,4 mil por dia, €18,5 mil por hora e aí por diante.

O Santos, por sua vez, deve receber €3,5 milhões pela transferência, devido ao mecanismo de Solidariedade da Fifa, que beneficia o clube formador.

E para você? O que acha do rumo da carreira de Neymar? Quais eram suas expectativas? Comente!

neymar al hilal

Imagem: Clutchpoints

Siga-nos nas redes sociais para se manter atualizado sobre as últimas notícias do mercadoInstagramFacebook e Twitter.

Escrito por Vitor F L Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Mercado Internacional, Em evidência

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir