Thiago Silva acerta seu retorno ao Fluminense

Thiago Silva

Thiago Silva marcou seu nome na Europa e volta para o Fluminense, clube que o revelou para o mundo após 16 temporadas.

Thiago Silva se consolidou como um dos maiores zagueiros de sua geração, conquistando diversos títulos e o carinho pelas torcidas de todos os times que passou.

Siga-nos nas redes sociais para se manter atualizado sobre as últimas notícias do mercadoInstagramFacebook e Twitter.

Carreira de Thiago Silva

Thiago Silva fez toda sua base no Fluminense onde ficou dos 11 aos 18 anos, porém seu primeiro jogo como profissional foi pelo Pedrabranca, na época RS Futebol Clube, em 2003.

Em 2004, disputou a Série A pelo Juventude, que fez uma grande temporada, terminando o Brasileirão em 7º colocado, comandados por Ivo Wortmann. Para muitos, o ano de 2004 ficou marcado como a melhor zaga de todos os tempos do Juventude, com Índio, Naldo e Thiago Silva, que foi eleito pela revista Placar como terceiro melhor zagueiro do Brasil nesse ano.

Em setembro de 2004, foi transferido para o Porto, mas não se adaptou e atuou somente pelo Porto B. Por conta de lesões e do pouco espaço, foi emprestado o Dínamo de Moscou, da Rússia, em janeiro de 2005, onde viveu seu maior drama na carreira e na vida. O jogador inicialmente acreditou que estava gripado, mas após alguns treinos na Rússia, viu seus sintomas piorarem e tinha dificuldades até para respirar no dia-a-dia.

Diagnosticado com Tuberculose

Com apenas 21 anos, Thiago Silva foi diagnosticado com tuberculose em 2005 no Dínamo de Moscou, mas acredita-se que ele tenha contraído a doença em 2004, quando ainda defendia o Porto B.

Foi internado num hospital em Moscow com instalações muito precárias durante quatro meses, vivendo num quarto com 10 metros quadrados em que mal podia andar. Belle Silva, sua esposa contou em entrevista: “No meio do processo, em Moscou, falaram que não poderiam fazer nada e teriam que retirar parte de seu pulmão em uma cirurgia.”

Ivo Wortmann, que foi técnico de Thiago no Juventude, foi contratado pelo Dínamo de Moscou e foi de extrema importância para a recuperação tanto da saúde quanto da carreira do zagueiro. Ao chegar na Rússia, conseguiu um especialista em Portugal para tratar do jogador.

Devido a possibilidade de retirar o pulmão, que daria fim a carreira de Thiago Silva, Ivo Wortmann resolveu agir. “Pensei para mim: ‘há algo errado aqui, hoje em dia ninguém morre de tuberculose’. Disse-lhe que ia falar com o Tonietto para entrar em contato urgentemente com o Jorge Mendes e que íamos levá-lo para Portugal ou para o Brasil. Não podia fazer essa cirurgia porque ninguém joga futebol sem um pulmão!”

Thiago Silva retornou para se tratar em Portugal e conseguiu se recuperar da tuberculose, mas havia um certo temor se o zagueiro voltaria a jogar em alto nível. Belle Silva conta que: “Mesmo assim, não acreditávamos que ele iria conseguir jogar mais profissionalmente. Mas Ivo Wortmann (seu ex-treinador no Juventude) lhe tinha dado uma chance antes, e deu outra no Fluminense. Foi aí que nós recomeçamos.”

Thiago Silva - Camapanha Tuberculose

Primeiros passos no Fluminense

Em 2006, Ivo Wortmann, na época técnico do Fluminense, pediu a contratação de Thiago Silva, que retornou ao Fluminense para fazer história.

No ano de estreia, foi um dos poucos destaques da equipe que brigou contra o rebaixamento até as rodadas finais do Brasileirão, e que chegou na semifinal da Copa do Brasil daquela temporada. Foram 48 partidas naquele ano, todas como titular.

Em 2007, viveu um ano que jamais será esquecido. O Fluminense conquistou sua primeira e até hoje, única Copa do Brasil e ficou em 4º colocado no Brasileirão, campeonato que Thiago Silva recebeu o prêmio individual ‘Bola de Prata’ dado ao melhor zagueiro da competição pela revista ‘Placar’. Nesse ano, foram 51 jogos na temporada, com 9 gols.

Em 2008, o Tricolor das Laranjeiras chegou na final da Libertadores, quando foi derrotado pela LDU em uma partida épica. Após ser derrotado por 4×2 na altitude de Quito, o Fluminense tinha a difícil missão de reverter o placar no Maracanã. Com apenas 6 minutos de jogo, os equatorianos abriram o placar, mas o Fluminense marcou 3 gols com Thiago Neves e levou o confronto para as penalidades. Em noite inspirada do goleiro Cevallos, o Fluminense foi derrotado pela LDU e ficou com o vice-campeonato da Libertadores.

Foi no ano de 2008 que foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, no dia 23 de maio, pelo técnico Dunga, dois dias depois de uma classificação histórica do Flu na Libertadores, contra o São Paulo, no Maracanã.

Pelo Brasileirão, Thiago Silva foi novamente eleito o melhor zagueiro da competição, dessa vez na premiação da CBF, além de receber o prêmio de Craque da Galera, em votação pela internet, na qual obteve 47% dos votos.

Diante desses anos magníficos pelo Tricolor, Thiago Silva foi contratado pelo Milan no final de 2008 por 10 milhões de euros (aproximadamente R$ 32,1 milhões na época).

Thiago Silva pelo Fluminense — Foto: Reuters

Foto: Reuters

Capitão no Milan

No Milan, Thiago Silva fez sua partida de estreia em janeiro de 2009, no amistoso contra o Hannover, que terminou empatado em 2×2. O zagueiro fez sua estreia em jogos oficiais somente em julho, pois o Milan já havia atingido o limite de jogadores sem passaporte da União Europeia durante a temporada 2008–09.

Na sua primeira temporada, o Milan terminou o Campeonato Italiano na 3ª colocação, com Thiago Silva sendo o principal nome da defesa. Na temporada seguinte, o Milan conquistou o Scudetto e Thiago Silva estava presente na seleção do campeonato.

Em 2011, o Milan foi campeão da Supercopa da Itália na vitória por 2×1 sobre a Internazionale no Estádio Nacional de Pequim.

Durante seus anos no Milan, Thiago Silva teve grande contribuição para o sucesso do clube, ele rapidamente se tornou um favorito entre os torcedores rossoneri, que o admiravam não apenas por suas habilidades técnicas, mas também por sua dedicação e profissionalismo.

Em novembro de 2011, Thiago Silva usa a braçadeira de capitão pela primeira vez. Na partida contra o Chievo, ele abriu o placar na goleada por 4×0.

Em julho de 2012, Thiago Silva e Zlatan Ibrahimovic foram negociados pelo Milan junto ao Paris Saint-Germain por um valor próximo aos 65 milhões de euros.

Thiago Silva Milan Chievo (Foto: Getty Images)

Foto: Getty Images

Ídolo máximo no PSG

Na equipe francesa, Thiago Silva conquistou o status de ídolo desde suas primeiras temporadas e com apenas 4 meses, o zagueiro já havia conquistado a braçadeira de capitão.

Durante todos os anos, Thiago Silva foi o titular incontestável do Paris Saint-Germain, apresentando uma hegemonia impressionante na França. Conquistou 7 Campeonatos Franceses, além de diversas taças no território nacional.

A hegemonia que o PSG tinha na França não correspondia ao nível europeu de Champions League. Por muitas vezes o PSG decepcionava na maior competição do mundo e tinha resultados abaixo do esperado.

Na remontada histórica que o Barcelona protagonizou contra os franceses, na qual haviam perdido por 4×0 e venceram por 6×1 em 2017, Thiago Silva estava presente e relembra com muita tristeza: “Não fomos capazes de jogar nosso jogo. No primeiro lance da partida tivemos dificuldade em sair com a bola. No segundo, abrimos mão da posse de bola e optamos por jogar na defesa. Estamos muito envergonhados”

A melhor campanha do PSG na Champions League foi em 2020, quando foram derrotados pelo Bayern na grande final, com gol de Coman. Foi a última partida de Thiago Silva pelo PSG, que apesar de querer continuar, já havia sido informado que não teria seu contrato renovado.

O zagueiro fez história no PSG e marcou seu nome na história como um dos maiores jogadores que vestiram a camisa do clube. Atuou em 315 partidas, sendo 309 como titular, conquistou 23 títulos oficiais e foi o jogador que mais usou a braçadeira de capitão na história do PSG.

Thiago Silva gol PSG Lorient (Foto: Reuters)

Foto: Reuters

Campeão do Mundo com o Chelsea

Thiago Silva se transferiu para o Chelsea em agosto de 2020 e logo em sua primeira temporada, conquistou a tão sonhada Champions League, vencendo o Manchester City de Pep Guardiola na final.

Outro título que faltava em sua galeria era o de campeão do mundo, que veio diante do Palmeiras. Na final, o Chelsea venceu o Verdão por 2×1, nos minutos finais da prorrogação, com gol de pênalti de Kai Havertz. Thiago Silva recebeu o prêmio de melhor jogador do Mundial. Com a grande temporada, Thiago teve seu contrato renovado até o final da temporada 2021–22.

Mesmo com 38 anos, Thiago Silva ainda era um dos melhores zagueiros do mundo, mesclando sua experiência com a inteligência tática que aprimorou ao longo dos anos. Sua visão periférica e sua capacidade de organização da defesa foram fundamentais para a solidez das equipes que jogou.

Além da influência que ele exerce na melhora do zagueiro que joga ao seu lado. Exemplo clássico é Marquinhos, que durante muitos anos foi seu companheiro no PSG e na seleção brasileira, vivendo seu auge técnico ao lado do experiente Thiago Silva.

No Chelsea, o zagueiro ainda chegou em duas finais da Copa da Liga Inglesa, sendo derrotado nas duas ocasiões pelo Liverpool de Klopp. Pela Copa da Inglaterra (FA Cup), também bateu na trave duas vezes, perdendo na final para o Leicester na temporada 2020–21 e para o Liverpool nos pênaltis, na temporada seguinte.

Em março de 2024, Thiago Silva recebeu a notícia de que não teria seu contrato renovado novamente. Quando o Chelsea foi derrotado pelo Manchester City na semifinal da Copa da Inglaterra, o zagueiro desabou em lágrimas, pois sabia que era sua última chance de título com os Blues.

Thiago Silva posa com o troféu do Mundial de Clubes — Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Seleção Brasileira

Pela Seleção Brasileira, Thiago Silva construiu uma linda história. Foi convocado para a Copa do Mundo de 2010, mas foi reserva de Lúcio e Juan e não entrou em campo.

No final de 2011 assumiu a capitania da seleção e formava a dupla de zaga ao lado de David Luiz. Nos jogos olímpicos de 2012 era o capitão da equipe que conquistou a medalha de prata.

Na Copa das Confederações, realizada no Brasil, Thiago Silva foi o capitão e pilar defensivo. Na final, o Brasil venceu a Espanha, na época atual campeã do mundo, por 3×0, com uma atuação de gala, que ficará marcada na história.

Na Copa do Mundo de 2014, Thiago Silva não estava presente no vexatório 7×1 diante da Alemanha, pois estava suspenso. Contudo, o capitão foi muito criticado pela atitude de isolar-se do restante do elenco, sentar em cima de uma bola e chorar antes da disputa de pênaltis nas oitavas de final contra o Chile.

Mesmo assim, Thiago Silva fez uma grande Copa do Mundo e marcou 1 gol na vitória por 2×1 contra a Colômbia nas quartas de final.

Na Copa do Mundo de 2018, Tite utilizava o esquema de rotatividade dos capitães e Thiago ficou com a braçadeira em 2 partidas e foi titular nos 5 jogos do Brasil na competição, que terminou eliminado nas quartas de final para a Bélgica.

Em 2019, Thiago Silva disputava a Copa América pela terceira vez, conquistando seu primeiro título da competição. Ele foi titular em todos os seis jogos da competição e o Brasil sagrou-se campeão diante do Peru na final, vencendo por 3×1.

Na Copa do Mundo de 2022, o zagueiro já tinha 38 anos, mas a idade parecia não importar, pois ele fez um torneio impecável, apesar da eliminação precoce do Brasil, que era considerado um dos favoritos para levantar a taça.

Thiago Silva na estreia do Brasil contra a Bolívia: ele vai ser novamente o capitão da Seleção — Foto: Luca Figueiredo / CBF

Foto: Luca Figueiredo / CBF

Thiago Silva fez história por onde passou e agora enfrenta o desafio de fazer ainda mais pelo Fluminense. Durante todos anos na Europa, o zagueiro sempre se manteve como um dos melhores em sua posição, fazendo parte da seleção da bola de ouro por diversos anos.

 

Escrito por Henry Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Mercado Internacional, Em evidência

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir