O Liverpool de Jurgen Klopp está de volta?

Jurgen Klopp Liverpool 2024 pode ser campeão deixará o cargo will leave

É cedo para falar que o Liverpool que encantou o mundo nas temporadas 2018/2019 e 2019/2020, sob o comando do alemão Jurgen Klopp, voltou a ter o mesmo nível de competitividade?

Após a arrasadora vitória por 4×1, diante do Chelsea, a equipe do oeste inglês manteve os seis pontos de vantagem sobre Manchester City e Arsenal, ainda que este primeiro tenha um jogo a menos.

Acompanhe conosco a trajetória de Klopp pela equipe, bem como a perspectiva para o restante da temporada, quando ele deixará o cargo.

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades sobre conteúdos exclusivosInstagramFacebook e Twitter

Jurgen Klopp pelo Liverpool

Klopp é um dos grandes treinadores da história do futebol, mesmo que ainda tenha muito à entregar ao esporte, por sua pouca idade.

Ex-jogador, o alemão se adaptou muito melhor fora das quatro linhas. Desenvolveu um estilo de jogo muito particular e obteve resultados muito consistentes diante de suas peculiaridades.

Tido no mundo do futebol como uma pessoa ímpar, com incrível senso de humor, personalidade e caráter, ele é um líder nato.

Começou sua carreira profissional em 2001 pelo Mainz. A mesma equipe pela qual se aposentou enquanto jogador. Permaneceu lá por sete anos, até se transferir ao Borussia Dortmund em 2008.

Bundesliga: como Klopp foi de jogador comum a lenda ao salvar Mainz e liderar acesso histórico - ESPN

Imagem: Getty Images

A partir do clube da Muralha Amarela, ele passou a efetivamente mostrar seu talento ao redor do mundo.

Pelo Dortmund, quebrou a hegemonia do Bayern de Munique, que segue empilhando Bundesligas após a saída de Klopp de sua terra natal.

Faturou nada mais nada menos que duas Bundesligas, além de uma Copa da Alemanha e duas Supercopas.

Depois do título nacional de 2011/12, o Bayern venceu todas as edições e o Borussia foi vice seis vezes. Isto para mostrar o peso dos títulos conquistados pelo treinador.

Ainda, menção honrosa à final da Champions League por ele atingida, mas dessa vez os Bávaros levaram a melhor.

Jürgen Klopp: A world-class coach, made in the Bundesliga | Bundesliga

Imagem: Getty Images

Assim, Klopp já chegava ao Liverpool com um status de grande treinador, mas seria ele capaz de demonstrar seu trabalho em um clube imenso, que passava por uma fase complicada?

Jurgen chega em 2015 sob muita expectativa, isto porque o último grande título do Liverpool tinha sido a Champions League na temporada 2004/2005. Antes disso, a última Premier League já completava 25 anos de aniversário, tempo exorbitante para um gigante desta magnitude.

Instantaneamente, ele já colocou os Reds nos holofotes. Enfrentou o Sevilla na final da Uefa Europa League, mas foi superado. Vale ressaltar que o elenco do qual ele dispunha era limitado, contando com poucas opções de qualidade para cada posição. Mesmo assim, ele conseguiu extrair o melhor de cada jogador e chegar perto do título.

Vendo a capacidade de seu treinador, a diretoria do Liverpool vislumbrou onde ele poderia chegar com as peças certas. Um outro ponto interessante deste técnico é que, quando pede uma contratação, dificilmente o jogador “flopa”.

Desde sua chegada, o alemão trouxe cinco jogadores absolutamente fundamentais para suas conquistas, que formaram a espinha dorsal dos anos de glória que estavam por vir.

Alisson Becker, Van Djik, Mané, Firmino e Salah.

Num primeiro momento, os valores pagos por estes jogadores assustaram os torcedores e à mídia, já que foram considerados altos. Estes não eram jogadores mundialmente conhecidos, mas tidos como ótimos atletas com boas perspectivas de crescimento.

Na mão de Klopp, isto se tornou realidade e, rapidamente, os investimentos foram justificados.

Em 2017/18, o treinador levava a equipe do oeste inglês à mais uma final de Champions League. No jogo que ficou marcado pelos erros do goleiro Karius, Jurgen viu o título escapar no último jogo, mais uma vez.

Mas ele e seu elenco aguerrido não desistiriam. Voltam à final na temporada seguinte.

Depois de 15 anos, o Liverpool conquista a Europa. Klopp vencia a Champions League pela primeira e única vez, até agora.

Um outro fato importante foi a conquista do título do Mundial de Clubes da Fifa, vencido sobre o Flamengo. Apesar de ser pentacampeão da Champions League, os Reds haviam perdido todos mundiais de clubes.

Um ano depois, 2019/2020, a redenção total. O Liverpool se sagrava campeão da Premier League depois de incríveis 30 anos. A campanha foi irretocável e eles levantaram o troféu com insanos 99 pontos.

Duas temporadas à frente, Klopp e seus comandados batem na trave duplamente. São vice campeões da Champions League, perdendo para o Real Madrid, mais um vez e perdem a Premier League para o Manchester City depois de uma disputa eletrizante (93 e 92 pontos). Apesar disto, ergueram a Copa da Liga Inglesa e a FA Cup.

Posto isto, na temporada anterior, o Liverpool patinou. Fez um início de campeonato nacional muito abaixo em relação aos anos anteriores e sequer conseguiu a classificação para a Champions League, como era de praxe.

Muitos, inclusive este que vos escreve, acreditava que o ciclo de Klopp pelo clube havia acabado. Afinal, são nove temporadas à frente da instituição. Neste tempo, atritos e fatores motivacionais são inevitáveis.

As contratações pedidas pelo treinador estavam contrariando as estatísticas e não davam os resultados esperados, como Darwin Nuñez e Luis Diaz. Por outro lado, Sadio Mané, que havia participado de todos estes anos vitoriosos, deixava o time para se juntar ao Bayern de Munique.

De todo modo, a diretoria e o próprio técnico acreditavam se tratar de uma questão de encaixe e que, com a devida preparação, os Reds poderiam voltar a sorrir em breve.

Jürgen Klopp's verdict on Liverpool's Champions League final win - Liverpool FC

Imagem: Reprodução Liverpool FC

O Liverpool de 2023/24

No início da temporada, o Liverpool estava longe de ser tratado como favorito, sobretudo pelo desempenho anterior. Além de Manchester City e Arsenal que, disputaram o campeonato até as últimas rodadas, o Chelsea gastou rios de dinheiro para montar um bom time.

Outras equipes como Newcastle e Brighton também pareciam estar mais prontas para largar na frente.

Está sendo diferente. De fato Manchester City e Arsenal fazem uma boa competição, estando inclusive dividindo a liderança com o mesmo número de pontos, caso não houvesse o Liverpool na jogada.

Depois de uma primeira rodada sem brilho e o empate por 1×1 contra o Chelsea, os Reds começaram a empilhar vitórias, uma após a outra, sem fazer muito barulho.

Chegaram a sofrer uma derrota para o Tottenham, quando os Spurs pareciam disparar na liderança, mas esta foi a única até aqui.

Manchester City, Arsenal e Tottenham também começaram muito bem, mas num determinado momento começaram a perder jogos e o padrão que vinham tendo.

Enquanto isso, o Liverpool podia até empatar mais, mas não saía dos jogos sem ao menos um ponto.

Isto fez com que seis pontos fossem abertos em relação ao Manchester City e o Arsenal, apesar de os Cityzens possuírem um jogo a menos.

A questão principal é que o estilo de jogo marcante de Klopp que parecia ter se perdido no ano passado, baseado na intensidade e pressão do adversário, aprisionando-o em seu campo de defesa, estava apenas adormecido.

Foram muitas boas atuações até aqui, mas a de 31 de janeiro, contra o Chelsea, foi simplesmente arrasadora.

O jogo terminou 4×1 para os Reds, mas poderia facilmente ter atingido a casa dos dois dígitos. Darwin Nuñez acertou a trave incríveis quatro vezes, sendo uma delas em um penalti perdido.

Foram 28 finalizações e uma intensidade impressionante. Apesar de a posse de bola ter sido equilibrada (51% L e 49% C), sempre que o time de Klopp tinha a bola, era extremamente agudo e conseguia finalizar as jogadas. Já o Chelsea trocava passes sem sentido e sem objetividade, marcada pela também pela solidez defensiva de seu adversário.

Até agora, o Liverpool tem o melhor ataque, a melhor defesa e, claro, o melhor saldo de gols.

Jogadores como Dominik Szoboszlai, Luis Diaz e Darwin Nuñez tiveram um crescimento de rendimento espantoso, se encaixando com maestria no que pede o treinador alemão. Sem contar o ídolo eterno, Salah, que está lesionado e segue fora dos gramados.

Não é garantia de que o Liverpool levará o título, mas neste momento é o favorito para tal. É uma equipe que, embora tenha perdido jogadores importantes nas últimas temporadas, tem um técnico e outros atletas acostumados a vencer, diferente do caso do Arsenal na edição passada.

Claro, é preocupante ter o Manchester City em seu retrovisor, contudo o futebol apresentado pelo Liverpool não fica nem um pouco atrás de seu rival.

O próximo jogo será fundamental, quando enfrentaram os Gunners, que querem apagar a “pipocada” do ano passado e finalmente voltar a vencer a Premier League. Caso a vitória dos times de Manchester e Londres ocorra, a diferença pode cair para três pontos. Com o jogo a menos do Manchester City, caso haja a vitória, ultrapassaria os Reds já num espaço de duas rodadas.

Porém, são muitos “se” citados. O campeonato ocorre rodada após rodada e a verdade é que o Liverpool tem o momento à seu favor.

Esta seria uma maneira histórica para que Klopp se despedisse da forma que merece. Mesmo tendo contrato até 2025, ele já disse que deixará o cargo ao final desta temporada, já que afirma não ter mais energia para a função.

Acredita que o Liverpool será campeão, ou Pep Guardiola e seus comandados continuarão a empilhar títulos nacionais? E o Arsenal, conseguirá se redimir do tropeço de 2022/23? Comente.

Klopp anuncia que sairá do Liverpool ao fim da temporada: "Estou ficando sem energia" | futebol inglês | ge

Imagem: Reuters

Escrito por Vitor F L Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Premier League, Em evidência

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir