Real Madrid na final da Champions League 2023/24 (mais uma vez)

Real Madrid na final da Champions League 2023/24 Real Madrid in the 2023/24 Champions League final Il Real Madrid in finale di Champions League 2023/24

Real Madrid na final da Champions League 2023/24, mais uma vez.

A história se repete. Em Wembley, veremos Los Blancos jogando a partida final pela 18ª vez em sua história.

Acompanhe conosco o enredo desta insana partida contra o Bayern de Munique, que seria considerada atípica em qualquer situação, mas se torna normal se tratando de Real Madrid.

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro dos próximos lançamentos da seção CopasInstagramFacebook e X.

A partida – Real Madrid 2 x 1 Bayern de Munique

Depois de um 2×2 eletrizante na Alemanha, a partida do Santiago Bernabeu começou exatamente como todos poderiam imaginar.

O Real Madrid iniciou num ritmo forte, adiantando suas linhas e impondo seu estilo quando precisa fazer seu resultado.

Desta maneira, logo aos 12′, Vinicius Jr (que será um capítulo a parte desta história) acerta uma bomba na trave. No rebote, Rodrygo finaliza de primeira, mas para em uma das tantas grandes defesas de Manuel Neuer. Ao se lamentar, o Rayo levantou sua camisa e deixou à mostra uma mensagem escrita em sua blusa térmica – Pray for RS (Rio Grande do Sul), prestando solidariedade à catástrofe vivida no estado brasileiro, que sofre com inundações pelo alto volume de chuvas.

Rodrygo, do Real Madrid, usa camisa com pedido de orações ao RS - Rádio Itatiaia

Imagem: Leonardo Benhossi

O Bayern de Munique respondeu aos 27′ com um lindo chute de primeira, de fora da área, de Harry Kane (que também será um capítulo à parte), parado em boa defesa de Lunin.

Durante o jogo, se viveu uma tônica. Todas as vezes que Vinicius Jr pegava na bola aberto pela esquerda, tinha Kimmich como seu marcador.

O lateral polivalente alemão, que costuma ter uma marcação firme contra jogadores de altíssimo nível, não conseguia parar o atacante brasileiro. Vinicius pegava a bola e ia para cima de Kimmich como se estivesse jogando uma pelada qualquer.

Venceu, se não todos, a imensa maioria dos duelos. Um deles, aos 39′, Kimmich teme por mais um drible e não se aproxima de Vini na marcação. O extremo faz ótimo cruzamento para sua fiel dupla, Rodrygo, que não chega nem a tocar na bola, que vai direto ao gol, mas Neuer, novamente, faz um milagre espetacular.

Imagem: X Champions League

Vem a segunda etapa, e os tipos de jogo não se alteraram. No melhor estilo Tuchel, O Bayern tentava compactar duas linhas bem próximas para tentar o desarme e uma conexão direta com homens de velocidade pelas pontas.

Assim foram as melhores oportunidades dos Bávaros. Primeiro com Davies e outra com Kane.

Do outro lado, Vinicius Jr simplesmente não parava. Desta vez, desafiou De Ligt, passou com tranquilidade e cruzou mais uma vez para Rodrygo. O Rayo chuta dividindo com a zaga e a bola passa raspando a trave.

O duelo entre Rodrygo e Neuer continuou. Em linda cobrança de falta do brasileiro, o goleiro voou e efetuou mais uma defesa.

Observem a quantidade de intervenções bem sucedidas pelo bastião do gol dos Bávaros. Elas não pararam por aí.

Isto porque, nem um minuto depois, Vinicius volta a humilhar De Ligt e Kimmich, com seu típico drible de futsal, em que toca a bola levemente, com muita velocidade, do pé direito para o pé esquerdo. Quando limpa a jogada sobre os dois marcadores, solta um foguete de dentro da área. Neuer, mais uma vez, faz uma ponte antológica e evita o gol.

Quando parecia que o gol dos Merengues tomava forma, a ótima tática de Tuchel surtiu efeito. Alphonso Davies é acionado na ponta esquerda, com a linha de defesa do Real Madrid correndo para trás.

O lateral canadense usa seu arranque sem igual, corta para dentro e dá um chute incrível de direita, seu pé não dominante. A bola beija a rede num golaço cinematográfico.

O Bayern de Munique vencia o Real Madrid, em pleno Santiago Bernabeu, aos 68′.

Imagem: Reprodução CNN Brasil

Como era de se esperar, Los Blancos não se abateram, e empataram a partida dois minutos depois. Contudo, o lance foi invalidado pelo árbitro após auxílio do VAR, que constatou falta de Nacho em Kimmich.

O tempo passava, e o Madrid parecia não achar solução para o gol. Os Bávaros, inclusive, tiveram boas chances de aumentar o placar. Kin Min-jae, que foi tão contestado na partida de ida, acertou uma cabeçada no travessão, que fez com que a baliza tremesse com força.

Além disso, em contra-ataque puxado por Thomas Müller, Dier faz o passe muito longo e mais uma oportunidade perdida.

Logo antes, Tuchel visava garantir o resultado, por isso tirou Sané e Kane, colocando Müller e Choupo-Moting, principalmente para ajudar na bola alta. Porém, as alterações fizeram com que o time ficasse mais pesado.

Assim, quando ninguém esperava, ou melhor, quando todos esperavam, chegava o Madrid Time.

Aos 87′ num lance inimaginável, no qual as coisas mais improváveis aconteceram, sai o gol do Real Madrid.

Primeiro, Vinicius Jr recebe uma de tantas bolas recebidas na ponta esquerda. Ele tem Mendy passando como uma flecha em suas costas, livre de marcação, já que Kimmich não tirava os olhos de Vini.

O atacante brasileiro ignora a ultrapassagem do lateral e escolhe o que seria uma jogada errada. Chuta exatamente onde Neuer estava colocado, mas com muito veneno.

O goleiro alemão, que era considerado o melhor jogador da partida até então, bate roupa. A bola sobra para o iluminado, Joselu, pega o rebote e iguala o placar.

Los Blancos precisaram de apenas mais dois minutos para virar a partir. Bola alçada na área que sobra para Nacho. O zagueiro toca para seu companheiro de defesa, Rüdiger, que cruza de primeira, no detalhe, para Joselu.

O atacante escora e vira a partida. Pandemônio no Bernabeu depois da validação de posição de legal pelo VAR.

Apesar da emoção, ela não foi final.

O árbitro da partida Szymon Marciniak, considerado corretamente um dos melhores do mundo, e sua equipe, protagonizaram cenas lamentáveis no exercício da profissão.

Sendo conivente com as quedas dos jogadores do Bayern de Munique para ganhar tempo, ele seguia adicionando acréscimos.

Desta maneira, no último lance da partida, com mais de 12 minutos de acréscimos transcorridos, lançamento para Mazraoui, que é cortado por Mendy. Neste momento, o assistente, contrariando absolutamente todo o protocolo do VAR, levanta a bandeira e assinala o impedimento. Marciniak, também incorretamente, apita a marcação do bandeira.

Na fração de segundo seguinte, Müller disputa a bola que sobra para De Ligt. O zagueiro chuta forte rasteiro e a bola entra.

Como se trata da marcação de impedimento anterior a entrada da bola no gol, o lance não pôde ser revisado pelo VAR. Portanto, quando evidenciado que Mazraoui não estava em posição irregular, nada poderia ser feito.

Por fim, a partida se acabou e o Real Madrid emendou sua 18ª final de Champions League.

Os personagens de Real Madrid na final da Champions League 2023/24

Vinicius Jr

Até quando negligenciarão este jogador? Não bastassem os dois gols na ida, ele apresentou um futebol espetacular, dotado de confiança e plasticidade.

Claro, Vinicius é um jogador provocador, assim como Zlatan Ibrahimovic, Cristiano Ronaldo, Romário, Maradona e Pelé. Mas estranhamente, para muitos torcedores e comunicadores, apenas Vini pode ser considerado um mau atleta, sem as virtudes esportivas.

Vinicius Jr é caçado em campo, alvo de provocações incessantes, racismo e xenofobia, mas quando não pega a bola entregue por Kimmich e a joga no chão, é considerado um mau vencedor e mau caráter.

Interessante ver como a unidade de medida da régua moral varia de acordo com a visão de mundo de cada um dos espectadores.

Fato é, que essa visão deturpada dos comportamentos de Vinicius Jr, deixam o melhor e mais decisivo jogador de futebol do mundo, longe da Bola de Ouro.

Quando, na verdade, pelo futebol apresentado, ele deveria ser o principal candidato ao prêmio.

A camisa 7 do Madrid está em boas mãos.

Imagem: X Champions League

Harry Kane

Parece repetitivo, mas o futebol de fato traz consigo místicas e histórias que mais parecem ter saído de um filme.

Com a eliminação na Champions League 2023/24, Harry Kane segue sem ganhar nenhum título oficial como jogador profissional.

Considerado por muitos o grande centroavante de sua geração, sua mística negativa conseguiu romper uma sequência onze temporadas seguintes com títulos.

Claramente isto se trata de uma brincadeira. Quem deixou de ser campeão este ano foi o Bayern de Munique, todo seu elenco e comissão técnica.

Joselu

Joselu é um jogador de muito vigor . Típico centroavante trombador, briga por toda a bola e tem um bom faro de gol.

Porém, não pode-se dizer que é um atleta de técnica refinada. Para muitos, não tem a qualidade necessária para ser centroavante do maior clube do mundo, o que, a rigor, pode até ser verdade.

Mas Joselu é um torcedor nato de Los Blancos. Deixou em campo toda a sua alma.

Imagine classificar seu time, dentro de casa, para a final de uma Champions League, marcando dois gols?

Cinematográfico.

Szymon Marciniak

O árbitro polonês é figurinha carimbada nos jogos mais importantes do circuito europeu e mundial.

Entretanto, nesta partida específica, sua atuação e de sua equipe de arbitragem comprometeram o resultado da partida.

Sim, muitos comentaristas chegaram a dizer que os jogadores do Real Madrid relaxaram o corpo com o apito no lance final. Mas fica evidente que, nem se tivessem tentado chegar nesta bola, teriam conseguido.

De Ligt deu um chute certeiro. A validação levaria a partida para a prorrogação.

Carlo Ancelotti e o Real Madrid

A mística deste clube na Champions League é muito anterior a esta passagem de Carlo Ancelotti, mas ele soube replicá-la perfeitamente.

A conquista anterior, em 2021/22, as partidas seguiram a mesma toada.

Calma e tranquilidade para fazer os gols nos momentos finais e virar placares que pareciam impossíveis.

Como se não só os jogadores e comissão técnica, mas também todos os torcedores dentro do estádio, soubessem que não importa qual o placar e a minutagem: O Real Madrid sairá classificado.

A atmosfera criada parece embalar cada lance. Como se as quatorze orelhudas entrassem em campo e empurrassem a bola para o fundo das redes.

Uma magia sem igual.

Agora, o Real Madrid tenta a tal da 15ª, contra o Borussia Dortmund.

Imagem: Alexander Hassenstein/Getty Images

Escrito por Vitor F L Miller.

Artigos Mais Recentes
Tags: Champions League

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir