3 anos de Abel Ferreira no Palmeiras

De um treinador pouco ou nada conhecido no Brasil para um dos melhores técnicos da história do futebol brasileiro. Os três anos de Abel Ferreira e sua comissão técnica em solos brasileiros, sobretudo sendo uma das figuras mais importantes da Família Palmeiras, que desde sua chegada é movida pelos lemas todos somos um e cabeça fria e coração quente.

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades do futebol estrangeiroInstagramFacebook e X.

Carreira

Como Jogador

Abel Ferreira se destacava pela sua vontade e intensidade dentro de campo, mas não era um craque da bola, porém mesmo assim construiu uma carreira sólida como lateral direito, inclusive atuando na Seleção Portuguesa.

Ele começou sua trajetória como jogador profissional no Penafiel em 1997, clube de sua cidade natal e ficou por lá até 2000, após 67 jogos como profissional foi transferido ao Vitoria de Guimarães.

No Vitória foram 4 anos e lá teve seu primeiro contato com um treinador Brasileiro, ninguém mais ninguém menos que o campeão mundial de clubes pelo São Paulo Paulo Autuori.

Após 86 jogos na lateral do Vitória de Guimarães, Abel Ferreira por sua intensidade e vontade dentro de campo chamou a atenção do Braga, onde permaneceu por apenas 1 temporada, mas desta vez era titular absoluto da equipe e seu futebol evoluía muito.

Por esse motivo o intenso lateral direito despertou interesse de um gigante português, o Sporting, e foi para lá que ele rumou e passou os melhores momentos de sua carreira como jogador.

Ao todo foram 5 temporadas disputadas com o time Alviverde de Lisboa entre 2006 e 2011, onde disputou 182 partidas e marcou 6 gols, dentre elas Campeonatos Nacionais Portugueses, bem como Champions League, além de ajudar a equipe nas conquistas de duas Taças de Portugal e duas Supertaças de Portugal.

Abel Ferreira era parte ativa no elenco do Sporting, e tinha uma relação ótima com seus treinadores, colegas e funcionários do clube, porém em 2011 Abel teve que deixar os gramados após sofrer grave lesão no joelho.

Mesmo assim o Sporting não o queria perder e o transformou em técnico da equipe sub-19 do clube, onde Abel Ferrreira com apenas 34 anos de idade daria início a uma linda trajetória como treinador.

Ainda como jogador ele chegou a defender a Seleção Portuguesa em 2008, chamado pelo professor Luiz Felipe Scolari o Felipão, que quisera o destino que ambos fossem os maiores técnicos da história do Palmeiras.

Abel Ferreira disputando jogada contra Samuel Eto’o Foto: Reprodução verdaoweb.com.br

Como Treinador

Como dito anteriormente, Abel Ferreira precisou pendurar suas chuteiras de forma repentina e precoce, uma vez que teve grave lesão no joelho, porém essa lesão fez com que o português que já era formado em educação física explorasse novos horizontes, e que horizontes ein…

Como era muito querido e tinha a confiança de todos no Sporting, o clube português de cara o colocou como treinador da equipe sub-19 e foi ali que as chuteiras foram trocadas pela caneta e a prancheta, ou melhor a mão, que Abel insiste em usar para escrever coisas que provavelmente só ele ou nem ele entende.

Nos Leões Abel Ferreira conquistou o Campeonato Nacional de Juniores na temporada 2011-2012, foi promovido a treinador da equipe B dos Verde e Brancos, onde treinou a equipe na temporada 2013-2014. Após 3 anos como técnico das camadas inferiores do Sporting, Abel Ferreira foi convidado a ser o treinador da equipe B do Braga, onde ele também já havia jogado.

No Braga foi onde Abel Ferreira começou a ter seu destaque como treinador, após dois anos comandando a equipe B do Braga, Abel passou a ser o técnico da equipe principal na temporada 2017-2018, e essa foi uma temporada mágica e histórica para os Guerreiros do Minho, afinal sob o comando do fervoroso Abel alcançaram o 4º lugar no Campeonato Português, além da equipe bater o recorde de gols marcados (101) e vitórias (33) numa única temporada. Além disso Abel alcançou invejáveis 64% de aproveitamento pelo clube, até então o maior já conquistado por um treinador nos Arsenalistas.

Diante de duas boas e sólidas temporadas no Braga, Abel Ferreira rumou ao PAOK da Grécia, que pagou sua multa contratual de 2,5 milhões de Euros para contratar o técnico, fato curioso é que a multa paga fez com que Abel se tornasse o 5º treinador português mais caro da história. Na Grécia Abel fez mais um trabalho sólido, levando o Paok ao vice campeonato do Campeonato Grego de 2019-2020.

Foto: reprodução ominho.pt

Abel Ferreira no Palmeiras

O Palmeiras no ano de 2020 buscava reestruturar seu elenco, sobretudo fazendo poucas contratações pontuais, como Rony e utilizando jogadores de sua base, que vinha ganhando todos os títulos possíveis, como por exemplo Gabriel Menino, Patrick de Paula, Danilo e Gabriel Verón. O Palmeiras então viu o lendário Vanderlei Luxemburgo como a pessoa certa para o trabalho. Por mais que o profexô tenha conseguido conquistar o Paulistão de 2020 e subir bons jogadores das categorias de base, pós parada pela Covid o time não se encaixava e produzia o que o torcedor necessitava.

Após a demissão de Luxemburgo, Andrey Lopes, o Cebola assumiu interinamente o Verdão enquanto o clube procurava um treinador no mercado. As opções eram poucas e o Palmeiras queria um treinador que jogasse para frente e que conseguisse resultados e tinha como prioridade a contratação de Miguel Ángel Ramírez, o Espanhol que vinha fazendo um trabalho magnífico no Indepiendente Del Vale do Equador. Ocorre que, o Espanhol aceitou a proposta mas disse que só assumiria o clube após o termino de seu contrato com o Clube equatoriano.

Sendo assim o palmeiras decidiu ir trás de outro treinador, até que surge o nome de Abel Ferreira, jovem treinador português, que tinha feito história com o Braga e fazia bom trabalho no PAOK, além de ser conterrâneo de Jorge Jesus, que havia feito uma temporada memorável no Flamengo em 2019, parecia o nome certo para o Alviverde, que desembolsou 600 mil euros para pagar a multa do treinador junto ao PAOK.

Após muitos rumores e negociações, no dia 30 de outubro de 2020 Abel Ferreira foi apresentado oficialmente no Palmeiras, e quem diria que após 3 anos ele se tornaria um dos treinadores mais vitoriosos do clube e para muitos o melhor e maior que já treinou o Palestra Itália. Todo esse reconhecimento vêm das conquistas a seguir, que chegaram após uma metodologia muito estruturada de trabalho, sobretudo pela ajuda de sua comissão magnífica.

Além de Abel, a comissão é formada por:

João Martins – Responsável pela preparação física e ligação à logística;

Vitor Castanheira – Responsável pela ligação à base e ao departamento de recrutamento;

Carlos Martinho – Responsável pela análise de equipe e ao departamento de recrutamento;

Tiago Costa – Responsável pela análise de adversário e ligação à comunicação.

Abel Ferreira em sua primeira reunião com a diretoria do Palmeiras fez questão de demonstrar sua metodologia de trabalho e todo o organograma e estruturação de sua equipe, como por exemplo temos no slide abaixo usado em sua reunião com a diretoria palmeirense.

5º slide da apresentação à diretoria do Palmeiras – A Equipe Técnica. Foto: Reprodução livro Cabeça Fria e Coração Quente.

1ª Temporada 2020

Após 5 dia de sua apresentação, o técnico português estreou no jogo de volta das oitavas de finais da Copa do Brasil diante do Bragantino, e como Abel Ferreira e sua comissão não tinham tempo para treinar a equipe, usaram a seguinte estratégia: primeiramente fizeram uma reunião com os capitães do time também a análise massiva dos jogos do Palmeiras na temporada, o que serviu para que através de conversas e não treinos houvesse o desenvolvimento da equipe e dos atletas, além de claro com os jogos.

Abel Ferreira e sua comissão de maneira muito acertada, num primeiro momento decidiram manter o esquema tático e praticamente todos os titulares que vinham jogando com o Cebola, afinal o interino vinha fazendo um belo trabalho e tinha moral com os atletas, sendo assim o treinador português num primeiro momento foi ganhando plantel com o seu jeito de ser humano e perspicaz, o que fez muita diferença pro frenético desenrolar da temporada, que tinha jogo de três em três dias, devido a pandemia do covid-19.

O time do Palmeiras manteve seu desempenho, e jogadores que não vinham tão bem começaram a desenvolver muito o futebol junto ao treinador português, a exemplo de Rony, Gustavo Scarpa, Zé Rafael e Raphael Veiga e Gabriel Menino, todos importantíssimos para as conquistas da temporada de 2020 que acabou só em 2021.

Com o time azeitado, o Verdão de Abel foi passando de fases da Copa do Brasil e da Libertadores sem tomar conhecimento de seus adversários, a equipe parecia evoluir jogo após jogo. A diretoria que havia pensado em ter contratado um treinador de jogo ofensivo se enganou, porém de forma boa, pois o Palmeiras de Abel foi se transformando em um time cascudo que dificilmente levava gols e que era muito difícil de ser batido.

Na Copa do Brasil o Palmeiras foi Campeão com folga diante do Grêmio, após duas vitórias na final, o primeiro jogo foi na Arena do Grêmio e o Verdão ganhou do Imortal em sua casa por 1×0 com gol do xerife Gustavo Gómez, já no jogo de volta o Palmeiras não tomou conhecimento dos gaúchos e ganhou de 2×0 com gols do recém recuperado de lesão Wesley e Gabriel Menino, ambos crias da base. O Verdão levantou diante de sua torcida a 4ª taça de Copa do Brasil.

Porém, antes da conquista da Copa do Brasil uma das conquistas mais importantes da história do clube ocorreu, a Glória Eterna veio com a vitória diante do Santos em pleno Maracanã no dia 30/01/2021, este jogo foi um exemplo do curto e poderoso trabalho que Abel Ferreira vinha fazendo no Palestra Itália, sobretudo no lado do desenvolvimento humano dos atletas, o que consequentemente elevava a confiança individual e coletiva.

Esse aspecto combinado com um sistema tático posicional e extremamente ajustado, fez com que o Palmeiras em pouco tempo se tornasse o time mais consistente do Brasil e ganhasse o título da Libertadores de 2020, que vale destacar que veio das cabeças do duramente criticado Breno Lopes, que foi bancado por Abel quando toda a torcida esperava e queria o contrário, aí Abel mostrou que de fato não era um simples treinador e que as coisas acontecem de maneira surpreendentemente boas e para quem trabalha rumando sempre um objetivo em comum.

Com essa temporada de estreia fantástica Abel já entrou na história do clube alviverde, se tornando o primeiro técnico estrangeiro a levantar uma taça pelo Palmeiras desde o argentino Filpo Nuñez, em 1965, além de ser um dos únicos a ganhar mais de uma taça no ano de estreia no clube, juntamente com Del Debbio (1942) e Luxemburdo (1993).

Abel Ferreira recebe banho de gelo de seus comandados no Palmeiras - Cesar Greco
Abel Ferreira recebe banho de gelo de seus comandados no Palmeiras – Cesar Greco/Palmeiras

2ª Temporada 2021

Agora com mais tempo para treinar, tudo indicava que o Palmeiras de Abel Ferreira iria decolar, e realmente foi isso que aconteceu, apesar da derrota para o São Paulo na final do campeonato Paulista, o Verdão começou voando na Libertadores da América se classificando em primeiríssimo lugar do grupo A com 15 pontos e 6 partidas.

Porém, como sabemos, no futebol brasileiro nem tudo são flores e vieram as  derrotas para o Tigres no Mundial de Clubes, para o Flamengo na Supercopa do Brasil, para o Defensa e Justicia na Recopa, para o São Paulo na final do Paulistão e também a desclassificação precoce na Copa do Brasil diante do modesto CRB, daí em diante, muitos achavam que Abel e sua comissão não eram mais dignos do trabalho, porém a diretoria e o presidente Galiotte juntamente com boa parte da torcida bancaram a permanencia do treinador português.

O que foi de suma importância para o desenrolar da temporada, afinal mais uma vez o português e sua comissão iriam fazer história. A Copa Libertadores daquele ano foi recheada de jogaços, nas oitavas de finais o Palmeiras enfrentou o tradicional Universidad Católica do Chile, ganhando de 1×0 os dois jogos, depois nas quartas houve o choque-rei contra o São Paulo, que foi marcado pela quebra de tabu em que o Palmeiras nunca havia se classificado em cima do São Paulo em fase mata-mata da Libertadores. O que ocorreu após o empate em 1×1 no Morumbi e a vitória de 3×0 no Allianz Parque.

Já nas semifinais veio o Atlético Mineiro, que era o time do momento, que estava jogandop um futebol belíssimo e em 1º com folga no Campeonato Brasileiro, e após dois jogos sufocantes em que os mantras todos somos um e cabeça fria e coração quente fizeram diferença tanto no 0x0 no Allianz Parque com direito a penalti perdido por Hulk e tanto no 1×1 no Mineirão com gol espírita do baixola Dudu após linda jigada da revelação Gabriel Verón.

Já na final o Palmeiras encontrou o temido Flamengo, que toda a imprensa indicava como o favorito para o confronto. No entanto, as coisas não foram desse jeito. O Estádio Centenário de Montevidéu estava lotado de Flamenguistas e Palmeirenses, porém foi a torcida palestrina que cantou mais e empurrava o time com mais força, o que foi um dos fatores dominantes para a intensidade aplicada pelo Palmeiras naquele jogo.

Abel Ferreira sabe montar uma equipe exatamente pensando no adversário que irá enfrentar, e naquela ocasião o fez com maestria. Primeiramente observou que o lateral esquerdo Filipe Luís vinha constantemente construir as jogadas pelo meio e acabava deixando espaço no corredor, e foi daí que saiu o primeiro gol palestrino aos 5 minutos do 1º tempo.

Após recuperação de bola Gustavo Gómez faz lindo lançamento para Mayke que explorava o corredor deixado por Filipe Luis, o lateral direito recebe a bola, levanta a cabeça e acha Veiga sozinho na entrada da área, o meio campista bate firme e rasteiro sem chances para Diego Alves.

Outro ponto importante que Abel verificou era que não poderia deixar espaços para Everton Ribeiro e Arrascaeta jogarem entre as linhas Palmeirenses, sendo assim, usou Danilo e Zé Rafael mais presos neste jogo, o que surtiu efeito para anular essas duas armas rubro-negras.

No final, aos 27 do segundo tempo Gabigol empatou para o Flamengo, mas parecia que Abel mais uma vez teria a carta na maga. ao começar a prorrogação Abel sacou Veiga e colocou Deyverson, logo aos 5 minutos o menino maluquinho aproveitou falha de Andreas Pereira, roubou a bola e chutou de esquerda deslocando o goleiro, que ainda chegou a raspar a bola que lenta e caprichosamente foi entrando no gol.

O Palmeiras de Abel Ferreira pela segunda vez seguida era campeão da Libertadores, mais uma vez com gol decisivo de um atacante saindo do banco de reservas.

Ao fim da temporada o Palmeiras foi defender o futebol sul-americano na disputa do Mundial de Clubes da Fifa, diferentemente do Mundial de 2020, dessa vez o Verdão fez bonito, ganhando na primeira fase do Al Ahly por 2×0 e perdendo na final por 2×1 para o Chelsea mas jogando de igual para igual o jogo inteiro.

3ª Temporada 2022

A terceira temporada foi marcada inicialmente pela a vinda em definitivo da família Ferreira para o Brasil, deixando a situação mais confortável para o professor alviverde.

O Verdão começou o ano sendo campeão da Recopa diante do Athletico Paranaense.

No início da temporada o Palmeiras foi campeão do Paulistão em cima do São Paulo após uma virada magistral no Allianz Parque. No 1º jogo o Tricolor Paulista ganhou do Palestra de 3×1 no Morumbi, porém no jogo de volta Abel fez de tudo para motivar seus jogadores, e conseguiu, o Palmeiras acabou se sagrando campeão Paulista após uma goleada de 4×0 no Allianz Parque.

A temporada foi seguindo e o Palmeiras continuava se mostrando muito consistente, mar ca principal da equipe de Abel Ferreira, um time que sofre poucos gols e é muito incisivo quando tem a bola nos pés.

Na Libertadores novamente vinha fazendo um ótimo trabalho, com a melhor fase de grupos já vista na história da competição, com 6 vitórias em 6 jogos e 25 gols marcados. porém o sonho do tricampeonato ficou para trás ao ser eliminado pelo Athletico Parananense de Felipão, diante de polêmicas da arbitragem.

assim como também foi a desclassificação na Copa do Brasil diante do São Paulo.

Porém tudo isso serviu de motivação para que o Palestra Itália fizesse um Brasileirão perfeito e conquistasse seu 11º título do Campeonato Brasileiro. Essa equipe de Abel Ferreira talvez tenha sido uma das melhores do futebol brasileiro, sobretudo por causa de sua constância, intensidade e capacidade de sofrer e mudar as circunstâncias nos momentos mais adversos.

4ª Temporada 2023

O ano de 2023 começou bem demais, com o Verdão sendo campeão em cima do Flamengo na Supercopa do Brasil e em cima do Água Santa do Campeonato Paulista.

Ocorre que, novamente o Palmeiras acabou caindo para o São Paulo na Copa do Brasil e parecia apostar todas as suas fichas na Libertadores da América, já que o Brasileiro parecia distante pelos pontos perdidos na competição e sobretudo pela bela campanha que o Botafogo vêm fazendo no Campeonato.

Ocorre que o Palmeiras acabou caindo na Libertadores na semifinal diante do tradicional Boca Juniors.

Sendo assim o Verdão de Abel corre com todas as suas forças atrás do Botafogo para assegurar o título de Campeão Brasileiro.

Conclusão

Como visto acima, Abel Ferreira e sua comissão parecem terem sidos feitos para o Palmeiras, é um dos casamentos mais longevos na era moderna do futebol brasileiro, e isso tudo pois o Palmeiras é um clube estruturado e Abel e sua comissão conseguem trabalhar minuciosamente dentro dessa estrutura, aproveitando cada oportunidade, seja dentro ou fora de campo e além disso mostram que o futebol não é apenas a parte física, mas também a mental de conseguir superar as adversidades e aprender com as derrotas.

Ao todo nesses três anos de clube foram 242 jogos, 139 vitórias, 59 empates e 44 derrotas, com 415 gols marcados e 192 sofridos, 2 títulos de Copa Libertadores, 1 de Copa do Brasil, 2 de Paulistão, 1 Recopa, 1 Supercopa e 1 Brasileirão.

Abel detém o Recorde de mais finais disputadas (11) e o único a conquistar ao menos um título estadual, um nacional e um internacional.

Além disso, Abel se mostrou um grande estudioso do Futebol Brasileiro e também um personagem e tanto, que vira e mexe tem seus problemas com a imprensa mas que sempre acaba em pazes.

Por fim, vale destacar o carinho que Abel Ferreira tem com seus jogadores, comissão e funcionários do clube, que para este que vos escreve é o principal motivo do português de cabeça não tão fria e coração quente fazer o trabalho que faz num dos maiores clubes do Brasil.

Parabéns Abel Ferreira, Carlos Martinho, João Martins, Tiago Costa e Vitor Castanheira.

Reprodução: X Conmebol

Escrito por João Felipe Miller

 

Artigos Mais Recentes
Tags: Exclusivos

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir