Exclusivos
Nenhum comentário

Viradas Históricas: Barcelona x PSG Oitavas de Finais Champions League 16/17

Futebol, o esporte mais amado ao redor do mundo, algumas das razões disso são sua imprevisibilidade e sua capacidade de surpreender seus espectadores. Hoje começaremos uma série que contará viradas históricas, a fim de demonstrar intrinsecamente que não há jogo perdido ou ganho, afinal isso não é matemática, mas sim a relação de diversos fatores e pessoas que o transformam em algo único.

A primeira virada, que segue abaixo, é nada mais nada menos que a remontada magnífica do Barcelona diante do PSG nas oitavas de finais da Champions League da temporada 16/17.

Prognóstico de Barcelona e PSG Antes da Disputa das Oitavas

Os Blaugranas sofreram muito com a eliminação nas quartas de finais da Champions League diante do Atlético de Madrid na temporada 15/16, afinal, tinham como principal objetivo levantar o caneco pela segunda vez consecutiva, por tal motivo o baque da eliminação foi forte, porém se recuperaram e conseguiram a conquista da La Liga e da Copa do Rey.

O Barcelona vinha embalado para a fase eliminatória da Champions, era um time extremamente técnico e competitivo, que contava com o famigerado trio MSN (Messi, Suárez e Neymar) em forma plena, além da calma e experiência de um meio de campo composto por Busquets e Iniesta, é verdade que sofria um pouco com o adeus de Daniel Alves, porém Sergi Roberto conseguia fazer bem a função, inclusive foi peça chave na remontada contra o clube parisiense.

Na fase de grupos o Barça enfrentou o Manchester City, o Celtic e o Borussi Mönchengladbach, fez 15 pontos, com 5 vitórias e apenas uma derrota, se classificando em primeiro lugar com folga. O clube azul e grená inclusive fez jogos magistrais na fase de grupo, como por exemplo o 7×0 no Celtic, 4×0 no City e 4×0 no Borussia, todas essas goleadas aplicadas no grandioso Camp Nou, o que demonstrava a força do elenco jogando diante de sua torcida pulsante.

Já o Paris Saint Germain também vinha de uma ótima temporada 15/16, sendo Campeão com folga da Ligue 1, Copa da França, e Copa da Liga, porém foram eliminados nas quartas de finais da Champions pelo Manchester City. Ao final da temporada deram adeus ao grande ídolo Zlatan Ibrahimovic, mas dentro do clube já tinham um sucessor natural, o Uruguaio Edson Cavani.

Na fase de Grupos o time da capital francesa encarou o Arsenal, Ludogorets e Basel fez 12 pontos, com 3 vitórias e 3 empates, se classificando em 2º lugar, fazendo uma bela fase de grupos se classificando para as oitavas invicto, ou seja, a fase era boa, o PSG contava com um time coeso da defesa ao ataque, com nomes de peso como Thiago SIlva, Marquinhos, Veratti, Di María e o artilheiro Edson Cavani, que parecia não sentir o peso de substituir Zlatan.

Quando saiu o sorteio e ficou decidido que os dois clubes se enfrentariam nas oitavas o mundo do futebol, principalmente os espectadores foram à loucura, afinal eram dois times badalados e com ótimos nomes. Os Deuses do Futebol não decepcionaram e este confronto de oitavas, com certeza foi o maior já visto nessa fase da Champions, fazendo jus à expectativa dos amantes de futebol ao redor do mundo.

1º Jogo, PSG 4×0 Barcelona

O Parc des Princes estava lotado, com quase 50 mil vermelhos e azuis empurrando o PSG rumo a vitória. O jogo começa a todo o vapor, com o Barça tentando manter a posse de bola, porém o time francês estava muito bem postado e tentava recuperar a bola a todo custo, ainda mais jogando com três volantes de pegada, Veratti, Matuidi e Rabiot. Quando roubava a bola o PSG explorava muito as jogadas pelas pontas, principalmente a direita, onde estava o magico Di María, que logo no começo do jogo descolou lindo cruzamento para Cavani que recebeu sozinho na entrada da área porém não conseguiu finalizar com precisão.

O PSG continuava firme e achando os espaços deixados pelo time espanhol, numa dessas, o alemão Draxler acha lindo passe para Matuidi entre os zagueiros catalães, o volante francês invade a área e solta uma bomba de canhota para a bela defesa de Ter Stegen, a bola volta no pé de Rabiot que finaliza sem força para mais uma defesa do goleiro alemão. O Barcelona parecia não conseguir reagir, e parava o PSG apenas fazendo faltas.

Numa dessas aos 18 minutos do 1º tempo Di María ajeita a bola com carinho na entrada da área pela direita, toma curta distância e acerta chute magistral no ângulo, 1×0 para os parisienses, o Parc des Princes vai à loucura e os Rouge-et-Bleu ganham ainda mais moral em campo.

O Barça por sua vez tenta reagir e agredir mais, em boa jogada pelo meio, Neymar conduz a bola deixando os marcadores para trás e acha lindo passe para André Gomes que invade a área pela direita e chuta rasteiro para ótima defesa de Trapp, mas não tinha jeito o jogo era dos franceses, Draxler invade a área pela esquerda pedala na frente de Sergi Roberto, deixa o lateral espanhol para trás e chuta para mais uma bela defesa de Ter Stegen.

O 1º tempo ia caminhando para seu desfecho, até que aos 40 minutos Veratti rouba a bola no meio campo e faz rápida tabelinha com Draxler, que ataca o espaço nas costa de Jordi Alba e recebe belo passe do italiano na área, o alemão então domina a redonda e chuta com categoria para vencer Ter Stegen, 2×0 PSG, o primeiro tempo acaba com uma exibição magnífica dos franceses e abaixo da média dos catalães.

O 2º tempo começa mais truncado, com muitos embates no meio de campo, até que aos 10 minutos Kurzawa sai da esquerda e conduz a bola pelo meio, o lateral francês encontra Di Maria pela Direita, o mágico vai conduzindo a bola para o meio, ninguém do Barcelona vai para cima, observando a oportunidade o argentino acerta uma linda chapada de fora da área sem chance para Ter Stegen, mais um golaço do habilidoso ponta argentino e 3×0 PSG.

O Barcelona parecia estar nocauteado, porém começou a trocar melhor os passes e segurar mais a bola, parecia que tinham em mente que não poderiam levar mais um gol, porém o pior ainda estava por vir.

Aos 27 do segundo tempo Meunier rouba bola pelo lado direito da defesa parisiense e sai em disparada rumo ao ataque, ninguém do Barcelona chega para intercepta-lo, sendo assim o lateral belga acerta bom passe para Cavani, que entra na área e solta uma bomba para sacramentar a goleada parisiense, 4×0 PSG num jogo fantástico dos franceses.

Resultado: PSG despacha o Barcelona por 4 a 0 e encaminha classificação na Champions | Esportes | EL PAÍS Brasil
Di María comemorando golaço contra o Barcelona no jogo de ida das oitavas de finais da champions 16/17. Foto: CristopheSimon / AFP

2º Jogo, Barcelona 6×1 PSG

Os dias que antecederam a 2ª partida foram de extremo nervosismo para os Culés, enquanto os torcedores do PSG estavam mais tranquilos, porém ambos sabiam que a vantagem conquistada em Paris era ótima, mas não irreversível, ainda mais se tratando do Barcelona de Neymar Messi, Suárez, Iniesta e Busquets.

Fato é, que, também era de conhecimento de todos que se o Barcelona jogasse como jogou na França era perigoso levar até outra goleada do PSG, por isso a concentração e preparação dos catalães foi ímpar, os jogadores e a torcida sabiam que a remontada era possível. Já do lado dos franceses a mentalidade era de segurar o resultado, afinal haviam conseguido uma bela vantagem, porém para o jogo de volta não tiveram seu principal jogador como titular, pois Di María não estava 100% fisicamente.

O Camp Nou pulsava, mesmo com a grande desvantagem os quase 100 mil Culés lotaram o estádio e estavam lá para apoiar o Barça.

Os Blaugranas começaram o jogo com tudo, afinal precisavam marcar o quanto antes e não podiam deixar o PSG marcar sequer um gol, e as coisas pareciam ir bem, logo aos três minutos Rafinha recebe bola de Mascherano na ponta esquerda, o brasileiro puxa para a perna esquerda e cruza dentro da área;

Marquinhos tenta afastar de cabeça e de maneira incomum erra o cabeceio, a bola desvia entre Messi e Matuidi e sobe, Suárez então age rápido e consegue cabecear a bola antes da chegada do goleiro Trapp, a bola vai lentamente para o gol, Meunier ainda consegue afastar a redonda mas ela já tinha entrado, 1×0 Barça, era o começo que todos menos os parisienses queriam.

O Barça continuava tentando manter o ritmo mas o PSG marcava muito forte, sobretudo as infiltrações blaugranas, sendo assim o caminho parecia ser o chute de longa distância, Messi cobrou bela falta central mas acabou indo pra fora, alguns minutos depois Neymar fez bela jogada pela esquerda, cortou para dentro e dá linda chapada no cato oposto de Trapp, que já estava rendido, porém a bola sai tirando tinta da trave.

Aos 40 minutos Neymar acha Iniesta no meio, que faz boa tabela com Suárez, “El Pistolero” devolve para Iniesta que ganha a frente de Marquinhos, a bola iria sair pela linha de fundo, mas em um estalo de genialidade de um dos maiores meio campistas da história do esporte, Iniesta evita a saída de bola com um toque de calcanhar direcionado à área, a redonda então vai na direção do lateral Kurzawa que tenta afastar, porém ele erra o chute, a bola bate em sua canela e ruma ao gol sem chances de defesa para o alemão Trapp, 2×0 Barça, faltavam mais dois para levar o jogo à prorrogação.

E a sorte parecia estar do lado dos Blaugranas.

O segundo tempo então começa e logo aos 5 minutos Iniesta enfia linda bola para Neymar, o habilidoso Brasileiro entra na área rente a linha de fundo, porém Meunier cai e acerta o ponta deslocando-o, o juiz pareceu não esboçar reação, então o assistente o chama e fala que foi pênalti, sendo assim o juizão apita e aponta à marca da cal, Messi que até então não vinha fazendo um bom jogo pega a redonda, a ajeita com carinho, e chuta firme no canto direito de Trapp, 3×0 Barcelona.

O PSG então percebe que a coisa estava ficando feia e tenta propor um pouco mais o jogo, após boa jogada de Meunier pela direita, o belga dribla Neymar com um chapéu e cruza a bola rasteira para Cavani, que com uma espécie de carrinho antecipa o zagueiro e bate para o gol, a bola bate na trave com violência e vai para fora.

Após o 3º gol o Barcelona pareceu perder seu ímpeto, e aos 17 minutos o time de Paris se aproveita disso, após cobrança despretensiosa de falta do campo de defesa, a bola chega em Kurzawa quase saindo pela linha de fundo, o francês então ajeita a bola de cabeça para Cavani que estava no meio da área, o uruguaio recebe e chuta com violência para estufar as redes de Ter Stegen, o gol do desafogo parisiense, 3×1 Barça, que agora precisaria fazer mais 3 para se classificar.

O Barcelona instantaneamente sente o baque, e minutos depois o PSG quase faz o 2º após bela bola enfiada de Draxler para Cavani, o artilheiro uruguaio finaliza de dentro da área com categoria, porém Ter Stegen estica seus pés e faz um milagre que manteve o Barça vivo. Após o susto os catalães parecem acordar e se jogam ao ataque, Messi recebe a bola pelo lado esquerdo, conduz a bola para dentro da área, ajeita a bola para a perna esquerda mais chuta mascado, definitivamente essa não era a noite dele.

O tempo vai passando e parece que os Blaugranas não conseguiriam os 3 gols que faltavam, até que a genialidade e a raça de um dos maiores e mais habilidosos pontas da história do futebol entra em ação, Neymar Jr. tentava de tudo, ele parecia ser o único do Barça que não admitia de jeito nenhum sair do Camp Nou sem a classificação para as quartas. Aos 43 minutos do segundo tempo o Barcelona tem falta na ponta esquerda da área para cobrar, o craque brasileiro vai para bola e acerta um chute único, que entra no ângulo direito de Trapp, que nada pode fazer.

Com o gol e com sua atitude Neymar parece incentivar seus companheiros, que passam a acreditar novamente na remontada, até que aos 46 minutos do 2º tempo Messi descola um ótimo lançamento para Suárez, o Pistoleiro vai dominar a bola mas sente contato de Marquinhos e desaba, o juiz marca o penalti, que convenhamos, foi muito duvidoso.

Neymar chama a responsabilidade e pega a bola, ele a ajeita com uma intimidade única, ele parte para a bola em sua maneira característica, da uma leve paradinha no meio de sua corrida, chega na bola e desloca Trapp sem problemas, colocando a bola no fundo das redes. 5×1 Barça, só faltava mais 1, porém o tempo era muito curto.

Neymar a toda hora estava com a bola, e todos do Barça se jogaram à área, até que aos 50 minutos do segundo tempo, Neymar tem falta para Cobrar, Ter Stegen também vai para a área, Neymar bate mas a zaga do PSG afasta, a bola volta para o brasileiro, que conduz a bola pro meio e lança para a área, a bola vai passando pelos jogadores do Bracelona e do PSG, até que ela vai caindo na área, Segi Roberto então ganha a  frente do defensor e estica seu pé direito para tocar nela e matar o goleiro Trapp, é gol, o gol do impossível, o gol do improvável.

O Camp Nou vai a loucura e o jogo acaba com o Barcelona classificado numa das maiores remontadas da história do futebol.

Fato curioso deste dia, foi que a euforia dos Culés no estádio era tanto que a comemoração do 6º gol causou um pequeno abalo sísmico no local, de aproximadamente 1,4 pontos, tamanha a emoção que essa virada histórica causou nos espectadores que ali estavam. Demonstrando de fato que não há impossível no futebol.

Neymar comemorando a classificação histórica diante do PSG. Foto: Reprodução.

E você leitor, lembra desses dois jogaços?

 

Escrito por João Felipe Miller

Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades do futebol estrangeiroInstagramFacebook e Twitter.

Artigos Mais Recentes
Tags: Exclusivos

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir